postado por Gabi Barros no dia 14.09.2012

Mais uma review foi liberada sobre o filme Now Is Good foi liberada, confira a review de Eric Hillis:

Fanning tem um desempenho seguro e um sotaque britânico convincente, mas nenhuma qualidade na atuação pode tornar a personagem menos desagradável. Ela é pouco mais que uma criança mimada que trata todos ao seu redor com desprezo, até mesmo o seu pai amoroso, Considine, o único personagem remotamente simpático no filme.

Em um ponto, Fanning ainda usa a doença para evitar pagar uma loja cujo furtou. Não sou ingênuo suficiente para acreditar que todas as pessoas diagnosticadas com doenças terminais a enfrenta com dignidade, mas muitos o fazem. Eu preferia muito mais uma dessas histórias que conta a vida de uma adolescente amarga que insiste em fazer a vida de todos insuportável. Com este personagem que você não pode ajudar, acho que se ela era saudável que ela tem tido algo a mais para lamentar. Ela é indicada para a pior jovem da atualidade. Quando perguntaram o que ela queria da vida, ela respondeu “fama”. Sem reputação, sem respeito, apenas fama para o bem dela. Seu namorado igualmente egocêntrico, Irvine, decide ajuda-la a conseguir isso através do grafite, colocando seu nome por toda a cidade. Nada diz “Eu Te Amo” como um pouco de criminalidade a custa de outra pessoa. Como o filme não deu bastante mau exemplo para os adolescentes, também temos uma mensagem anti-aborto na trama. Sua melhor amiga, Scodelario, é particularmente condenável que rouba ATM Cards/Cartões de estranhos e parece passar a maior parte do seu tempo apedrejada. Quando ela fica grávida tudo que você consegue pensar é “Aborte! Aborte! “, Mas é claro que ela decide ficar com o filho. Que futuro essa pobre criança está prestes a entrar.

3 estrelas de 10.

Fonte | Tradução: Victória – Equipe Dakota Fanning Brasil

categorizado como: Artigo, Dakota Fanning, Now is Good, Reviews